REGISTROS FOTOGRÁFICOS

.

.
.

31 de ago de 2016

Após 100 dias de greve professores em Goiana retornan suas atividades neste dia 30/08

Foto: Arquivo
Em nota pelas redes sociais o Sindicato dos Professores de Goiana comunicam que retornam as atividades nas escolas após 100 dias de greve.

                                      NOTA DO SINDICATO

Em assembleia ocorrida na manhã do dia 29/08 no MILLENIUM BUFFET os professores decidiram retornar às suas atividades nas escolas da rede pública municipal de Goiana - PE. Essa decisão foi tomada pela categoria atendendo a reivindicação dos pais de alunos e da sociedade, considerando os prejuízos sociais causados em razão da insensibilidade do prefeito do município, Fred Gadelha, em negociar com a categoria e em atender as justas reivindicações do professorado.
 
Foram mais de 100 dias de greve nos quais os professores chamaram a atenção para o descumprimento por parte do prefeito da lei do piso, para o descaso da administração pública no fornecimento de material didático e de expediente para as escolas, para a merenda de baixa qualidade e para as precárias condições de funcionamento de nossas escolas, ao ponto de uma delas (a Escola Lourenço Gadelha, no bairro de Flexeiras) ter desabado parcialmente no último final de semana.
 
Lamentamos que tenhamos sido forçados a enfrentar um período tão longo de greve. Mas não nos restou outra alternativa diante de tamanho descaso por parte do prefeito do município, que não se preocupou em cumprir a lei do piso e em promover a valorização do professorado prevista em lei, lhes negando um justo reajuste salarial, no momento em que seus salários são corroídos pela inflação e pelas incertezas de nosso futuro econômico.
 
Desde o início provamos que o município tinha condições de dar o reajuste pois os recursos do Fundeb eram mais do que suficientes para isso. Mas o prefeito preferiu levar as coisas para o lado pessoal, vingando-se da categoria por ver o seu projeto de poder (e reeleição) frustrado, sem levar em conta que foi a sua péssima e mal avaliada gestão que levou a isso, ao ponto de seu próprio partido ter lhe negado legenda para uma recandidatura.
 
A categoria retorna ao trabalho, porém de cabeça erguida, e feliz e vitoriosa com o fato de ter denunciado todo esse descaso com a Educação goianense que inviabilizou de vez as megalomaníacas pretensões do senhor prefeito de continuar com tão desastrada gestão, que não deixará saudades para os goianenses, que já contam os dias para que ela termine e essa triste página seja virada de vez.
 
Que fique registrado que a categoria abre mão da greve, mas não de sua luta e de suas justas reivindicações, que foram judicializadas a fim de que seja reconhecido legalmente o que lhes é de direito.
 
Nossa luta agora é para que no futuro os professores voltem a ser respeitados e a Educação seja prioridade não apenas nos discursos de palanques eleitorais, mas nas ações políticas do dia a dia.
 
Vamos à luta pois a luta continua!
 
E a vitória é dos que lutam sempre, e jamais desistem.*

Nenhum comentário:

Postar um comentário