REGISTROS FOTOGRÁFICOS

.

.
.

10 de mai de 2017

Por divergência ideológica, sete diretores retiram filmes do CinePE

Sete dos filmes que fariam parte da 21ª edição do Cine PE não serão mais exibidos no festival pernambucano, que vai de 23 a 29 de maio. Diretores dos filmes decidiram retirar suas produções do festival por não quererem estar atrelados a uma programação que "favorece um discurso partidário alinhado à direita conservadora e grupos que compactuaram e financiaram o golpe ao Estado democrático de direito ocorrido no Brasil em 2016", como diz trecho da carta aberta divulgada na tarde desta quarta-feira (10).

"Sempre existiu um problema entre a linha de pensamento do Cine PE, que diverge da linha de pensamento do cinema que vem sendo feito no Brasil, que é em sua maioria político, buscando as diferenças, debatendo machismo, diversidade sexual", diz a cineasta Gabi Saegesser. "Esse ano, pensamos se iríamos colocar ou não os filmes no festival, que é feito com dinheiro público. No meu caso, meu filme, 'Iluminadas', fala sobre as parteiras, ponderei que era mais importante as pessoas que vão ao evento, que não estão acostumadas a esse tipo de filme, verem esse curta. O grupo se alia contra a posição política do festival a partir de sua curadoria", ressalta Gabi.

O festival está marcado para acontecer entre os dias 23 e 29 de maio e contava com a exibição de mais de 30 filmes (entre curtas e longas). As exibições estão marcadas para acontecer no cinema São Luís, no centro do Recife. O evento conta com uma mostra competitiva entre longas e curtas, também acontecem exibições de filmes infantis, antigos filmes brasileiros.
 


Confira a carta aberta na íntegra:

10 de Maio de 2017
Nota sobre a retirada de filmes da programação do Cine PE 2017

Decidimos tornar pública a decisão, conjunta, de retirar nossas obras da seleção do XXI Cine PE Festival Audiovisual, a ser realizado entre os dia 23 e 29 de maio de 2017, na cidade de Recife. Apenas no dia 08 de maio, através de veículos de imprensa, tomamos conhecimento da grade completa dos filmes que foram selecionados para o festival.

Constatamos que a escolha de alguns filmes para esta edição favorece um discurso partidário alinhado à direita conservadora e grupos que compactuaram e financiaram o golpe ao Estado democrático de direito ocorrido no Brasil em 2016. Para nós, isso deixa claro o posicionamento desta edição, ao qual não queremos estar atrelados.

Reconhecemos a importância do Cine PE Festival Audiovisual, do qual muitos de nós já participaram em edições anteriores. Esperamos poder participar de edições futuras e mais conscientes, condizentes com sua grandeza histórica e relevância para a formação de público do cinema brasileiro.

Assinam os representantes dos filmes abaixo listados:

“A Menina Só” – Santa Catarina
“Abissal” - Ceará
“Baunilha” – Pernambuco
“Iluminadas” - Pernambuco
“Não me Prometa Nada” - Rio de Janeiro
“O silêncio da Noite é que tem sido testemunha das minhas amarguras” – Pernambuco
“Vênus – Filó a fadinha lésbica” - Minas Gerais

Conheça alguns detalhes sobre os filmes que foram retirados:

Vênus – Filó a Fadinha lésbica (MG) 6’ de Sávio Leite
A animação conta o causo de uma fada que se transveste de garoto durante o dia para seduzir mulheres, e de noite algo mágico acontece, surpreendendo a população da Vila do Troço.

A Menina Só (SC) 10’ de Cintia Domit Pittar
O curta exibe a perturbadora história de uma menina que é informada pelo pai que o Diabo vive em seu celeiro. Mas a verdade sobre aquele lugar pode ser mais apavorante.

Iluminadas (PE) 13’ de Gabi Saegesser
O documentário pernambucano narra o cotidiano de 16 parteiras de Pernambuco.

O Silêncio da Noite É Que Tem Sido Testemunha das Minhas Amarguras (PE) 78’ de Petrônio Lorena
Rodado em Pernambuco e Paraíba o documentário tem como foco a poesia que está presente na cultura dos dois estados, e pode ser apreciada nos personagens e no jeito de viver nas pequenas cidades do interior.

Abissal (CE) 17’ de Arthur Leite
O documentário nasce a partir da curiosidade do diretor de conhecer mais a fundo o passado de seu avô. Mas enquanto se aprofunda dessa história, percebe que a importância de sua avó, Rosa, nas descobertas que faz diante das câmeras.

Não Me Prometa Nada (RJ) 21’ de Eva Randolph
Em um Rio de Janeiro que se prepara para as emoções das Olimpíadas, dois primos se apaixonam secretamente, mas um deles recebe uma grande oportunidade para mudar de vida.

Baunilha (PE) 18' de Leo Tabosa
O curta exibe os desejos masculinos escondidos sobre máscaras sociais. O personagem principal é um servidor público que é mestre em sadomasoquismo e que enfrenta os dilemas de equilibrar as suas distintas realidades.

O festival desse ano homenageia o ator internacional Rodrigo Santoro, que tem seu nome reconhecido por grandes atuações em filmes como Bicho de Sete Cabeças e Carandiru, internacionalmente ele já contracenou com nomes como Will Smith e Jim Carrey; a atriz Cassia Kis, que recebe o troféu Calunga de Ouro por seu papel na história cinematográfica brasileira, com filmes como "Meu Nome Não É Johnny" e "Bicho de Sete Cabeças".

Outro homenageado do evento é o diretor Luiz Joaquim, nascido no Recife que teve na cidade a inspiração para seu primeiro filme Eiffel também já trabalhou com nomes internacionais como o diretor Kléber Mendonça e leciona o curso de pós-graduação da universidade Católica sobre Estudos cinematográficos.

Fonte: FolhaPE/Diversão

Nenhum comentário:

Postar um comentário