REGISTROS FOTOGRÁFICOS

.

.
.

5 de set de 2017

Prédio em Goiana é alvo de polêmica

Palco de lutas históricas desde a colonização, o município de Goiana (Zona da Mata Norte, a 60 km do Recife) promete protagonizar nesta segunda-feira (4) mais uma batalha, desta vez no campo político-administrativo. Com o fim da restauração do Paço Municipal Heroínas de Tejucupapo, o prefeito Osvaldo Rabelo Filho (PMDB) promete ocupar o edifício com a estrutura da atual gestão, a partir das 10h. 

O ato é polêmico, porque vai de encontro a um convênio firmado entre o ex-prefeito Fred Gadelha (PTB) e a Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco, por meio do qual foram obtidos recursos junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) visando transformar o prédio na âncora do chamado Plano de Turismo do Centro Histórico de Goiana.

Localizado na Avenida Marechal Deodoro da Fonseca (Rua Direita), o Paço Municipal Heroínas de Tejucupapo é considerado um dos exemplares arquitetônicos marcantes na cidade. De características ecléticas, a edificação foi erguida em meados do século 19 e teve como uso inicial a Casa de Câmara e Cadeia. Atualmente se encontra na Zona Especial de Preservação Cultural, estabelecida no Plano Diretor do município. Em 1984, recebeu a denominação Paço Municipal das Heroínas de Tejucupapo - em referência à luta travada entre as mulheres locais e os invasores holandeses, em 24 de abril de 1646 - tornando-se sede do Executivo municipal até 2014, quando o prédio se encontrava bastante deteriorado.

Em nome do município, o procurador-geral de Goiana, Alcides França, afirma que o Programa Regional de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur), do Ministério do Turismo, e o Governo do Estado querem se apropriar do edifício.

O secretário estadual de Turismo, Esportes e Lazer, Felipe Carreras, disse que o Governo não vai entrar em confronto, mas que, por meio da Procuradoria Geral do Estado (PGE) tomará as medidas cabíveis.

Folha de PE
Por: Marcos Toledo

Nenhum comentário:

Postar um comentário