15 de ago. de 2014

Nossa Colunista Bethânia trás mais uma publicação: Parto Assistido - Política de Humanização Hospitalar


PARTO ASSISTIDO -

POLÍTICA DE HUMANIZAÇÃO HOSPITALAR

Maria Bethânia de Jesus

Queridos leitores e leitoras, neste pequeno e breve texto venho apresentar para vocês um tema quase não abordado, mas, que é de extrema importância para muitas mamães e papais, assim como outros membros da família e amigos. Falo da participação do acompanhante no momento do parto, nascimento e sobre a sua interface com a equipe de saúde.

O parto humanizado destaca-se o direito da mulher decidir pelo parto natural e de ser acompanhada durante o processo de parturição. Esta liberação está contida na Lei 11.108 de 07 de Abril /2005 que garante e assegura o direito das parturientes a presença do acompanhante no processo de parto e pós- parto imediato no âmbito do Sistema Único de Saúde- SUS.

O parto é um processo natural que envolve fatores biológicos, psicológicos e socioculturais, mas, constitui para a mulher uma experiência de impacto emocional significativo. Inserir uma pessoa querida em um momento de imensa importância além de proporcionar segurança, apoio psicológico, presença física, um suporte positivo que facilita o parto, trás um ganho significativo nos avanços da Saúde, uma vez que isso é de fato colocado em prática.

Vale ressaltar que a mulher tem o direito de escolher o seu acompanhante, cabendo à instituição dispor de condições físicas e de recursos humanos para acolhê-lo. Caso ela não queira acompanhante, isso também deve ser respeitado.

Os profissionais de saúde precisam estar cientes de seu papel, capacitados e aptos a relacionar-se com esse novo cliente, o que demanda rever concepções pessoais, profissionais, culturais e de direitos de cidadãos, de gênero, dentre outras questões.

As instituições precisam adequar, além do espaço físico, as normas e rotinas para que os benefícios se estendam a todos os envolvidos no evento do parto.  Esse direito legalmente previsto em Lei deve ser efetivado, as mamães, papais e familiares precisam se conscientizar que os seus direitos precisam ser cumpridos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário