REGISTROS FOTOGRÁFICOS

.

.
.

2 de dez de 2015

Governo do Estado e Prefeitura do Recife anunciam programação completa do FestCine 2015


Este ano, o público cativo do FestCine tem um motivo a mais para celebrar, pois será a primeira edição do festival utilizando o sistema de projeção e som digitais próprios do São Luiz. Para marcar o momento histórico, dois importantes nomes do nosso cinema serão reverenciados: a cineasta responsável por diversos curtas e cursos de formação em cinema, além de documentários para a TV e o longa-metragem Rio Doce/CDU, a recifense Adelina Pontual; e o eterno “camelô do cinema”, o cineasta, ator e comerciante informal Simião Martiniano, cuja obra foi revisitada no projeto “Simião Remake”, série de TV produzida pela Página 21, que o FestCine terá a honra de lançar em sua cerimônia de premiação.

Cinquenta filmes selecionados por meio de Convocatória Pública vão concorrer a mais de R$ 57 mil em prêmios, nas categorias ficção, animação, documentário, videoarte/experimental e videoclipe. De acordo com Milena Evangelista, coordenadora geral do evento, “a possibilidade de inscrição por meio eletrônico facilitou a seleção de filmes de diferentes regiões pernambucanas, o resultado é um rico conjunto de narrativas e imagens que contemplam desde temas mais tradicionais da nossa cultura, como manifestações populares até questões mais insurgentes, com um viés experimental”.

Além da premiação em dinheiro, o FestCine também vai distribuir, pelo segundo ano consecutivo, o Troféu Fernando Spencer aos melhores nas modalidades: Direção, Fotografia, Montagem, Roteiro, Produção, Direção de Arte, Trilha Sonora, Som, Ator e Atriz.

Formação, Debate e Inclusão

A oferta de minicursos gratuitos segue como marca do Festival. Para Silvana Meireles, secretária estadual executiva de Cultura, “investir na formação é papel do Estado, tendo em vista que a qualificação dos realizadores é essencial para a construção de uma base sólida da cadeia audiovisual e para o desenvolvimento da política setorial. Nesse sentido, cerca de 60 pessoas vão participar das oficinas de Crítica de Cinema, com Júlio Cavani; Finalização Digital, com Pablo Nóbrega; e Ponto de Virada – Escrita Criativa para Roteiro de Ficção, com Márcio Andrade.

Além das oficinas, Encontros de Cinema também são destaques da programação, inclusive um específico para discutir as Políticas Públicas para o Audiovisual, marcado para a sexta-feira (11), no auditório do Mamam. De acordo com Marcelino Granja, secretário estadual de Cultura, “momentos como este contribuem para que Pernambuco avance cada vez mais na implementação de estratégias e políticas públicas para o setor, consolidando-se como referência nacional não apenas no incentivo à produção independente, mas também no fomento a todo um circuito de festivais que ajudam na difusão do cinema pernambucano e na formação cultural da nossa gente”.

Para a presidente da Fundarpe, Márcia Souto, o FestCine encerra um ano de importantes conquistas para o setor. “A modernização do São Luiz foi um investimento do Governo do Estado que já começa a impactar positivamente no acesso dos pernambucanos à nossa rica filmografia atual, seja ela de realizadores consagrados ou estreantes, como muitos dos que integram agora a programação do festival e vão exibir, pela primeira vez, suas produções em um cinema tradicional”, comemora.

O público com alguma deficiência visual ou auditiva também está convidado! No sábado, 12/12, haverá uma sessão especial do Festival VerOuvindo, que exibirá curtas com acessibilidade comunicacional.




Conheça melhor os homenageados:

Adelina Pontual – É natural de Recife-PE, onde se graduou em Comunicação Social, pela Universidade Federal de Pernambuco. Estudou cinema na Escuela Internacional de Cine y Televisión (EICTV), em Cuba, com especialização em montagem.

Divulgação
Cineasta Adelina Pontual é uma das homenageadas do FestCine 2015


Nos anos 90, junto com Cláudio Assis e Marcelo Gomes, fundou a produtora Parabólica Brasil, responsável pela realização de vários curtas e cursos de formação em Cinema. Curta-metragista e diretora de documentários para televisão realizou, entre outros trabalhos, os curtas Cachaça (1995), O Pedido (1998), Véio (2005) e ReTrato (2012).

Na TV, dirigiu as séries Teimosia da Imaginação (Episódio: Véio – Sertão Esculpido na Memória – TAL e TV Cultura), Cultura do Açúcar (TV Escola) e Nordeste Feito à Mão (TV Cultura). Ganhou prêmios nacionais e internacionais e em 2013 lançou seu primeiro trabalho em longa-metragem, o documentário Rio Doce/CDU.








Simião Martiniano – Nascido em 1932, em Alagoas, Simião Martiniano dirigiu nove longas-metragens, utilizando diversos formatos (Super 8, VHS e câmeras digitais).

Além de cineasta, também era comerciante informal o que lhe rendeu o apelido “O Camelô do Cinema”, título do curta-metragem realizado por Clara Angélica e Hilton Lacerda sobre o cineasta.

Os filmes produzidos por Simião traziam elementos das artes marciais, da comédia e do bangue-bangue. Além de dirigir, Simião costumava atuar em seus filmes e em obras de outros realizadores, como no Homem da Mata, de Antônio Carrilho.

Seu último trabalho foi na série de TV “Simião Remake”, inspirada em suas obras anteriores. A série foi produzida pela Página 21 e será lançada na Cerimônia de Premiação do festival. 

Divulgação
Divulgação
Simião Martiniano

Nenhum comentário:

Postar um comentário